Cefarma
Compartilhe:

Notícias

Remédio para quem sofreu AVC vai ser gratuito

Justiça de SP determina que o SUS distribua Alteplase em todo o país

 

BRASÍLIA. O medicamento Alteplase, usado para tratar pacientes que sofrerem acidente vascular cerebral (AVC) do tipo isquêmico, deverá ser distribuído gratuita-mente na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) dentro de 30 dias, por determinação de liminar da Justiça Federal de São Paulo. A decisão é válida para todo o país.

Desde setembro de 2009, o Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo acompa-nha a interrupção da distribuição do medicamento na rede pública de saúde, e solicita explicações ao Ministério da Saúde dos motivos da falta de distribuição da droga. Segundo o MPF, o Ministério da Saúde alegava que a distribuição do medicamento dependia da publicação de uma portaria, que aconteceria "em conjunto com portarias que incluem um procedimento compatível na tabela do SUS e que estabelecem critérios exigidos dos hospitais para sua utilização".

Ajuíza Tânia Regina Marangoni, autora da liminar, argumentou que o prazo para a conclusão dos procedimentos que autorizavam a distribuição do Alteplase já se de-senrolava há mais de dois anos, período que a juíza considera suficiente para conclusão dos procedimentos administrativos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 100 mil pessoas morrem por ano no Brasil vítimas de AVC. A Alteplase é indicada para o tratamento de cerca de 80% dos acidentes vasculares cerebrais registrados no país.

Remédios de graça para 7,8 milhões de pessoas

Ontem, no programa de rádio "Café com a Presidente", a presidente Dilma Rousseff afirmou que 7,8 milhões de pessoas já receberam remédios de graça para hipertensão e diabetes desde fevereiro do ano passado, quando o governo lançou o programa Saúde não tem Preço.

A iniciativa ampliou o programa Farmácia Popular, do governo Lula, que dava medicamentos subsidiados para a população pobre atendida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No caso de doenças crónicas como asma, colesterol alto, osteoporose e rinite, o paciente ainda pode retirar remédios com até 90% de desconto nessas farmácias. As farmácias populares distribuem ainda anticoncepcionais e fraldas geriátricas, entre outros itens, a preço subsidiado.

Para este ano, o governo promete investir R$ 7,7 bilhões na compra de medicamentos para distribuir nas Farmácias Populares e nos hospitais. O SUS também garante remédios para o tratamento contínuo de pacientes com câncer, Aids, doenças renais, hepatites e Alzheimer, entre outras.

fonte: O Globo

Deixe seu comentário
Voltar
A empresa está fechada. E não há previsão de reabertura.

O site se mantém no ar apenas para consulta.